Páginas

Sob o sol (Valéry)

Sob o sol em meu leito após a água -
Sob o sol e sob o reflexo enorme do sol sobre o mar,
Sob a janela,
Sob os reflexos e os reflexos dos reflexos
Do sol e dos sóis sobre o mar
Nos vidros,
Após o banho, o café, as ideias,
Nu sob o sol em meu leito todo iluminado
Nu - só - louco -
Eu!

(tradução: Augusto de Campos)

Fiquei um tempo sem atualizar o blog... Ultimamente ando tão ocupada O.O 

Adoro este poema. Ele me sugere uma ideia de liberdade (estar só consigo mesmo, com seus próprios pensamentos, livre até das roupas)... :) O autor também utiliza muito a imagem do sol no poema. Dei uma olhadinha no Dicionário de Símbolos de Chevalier (livro muito interessante por sinal ^_^), eis um trecho retirado de lá sobre a simbologia do sol: "Depois todas as ilusões, o Sol nos mostra, finalmente a verdade de nós mesmos e do mundo". Assim, neste poema, é possível que o sol represente um processo de auto-conhecimento realizado por este eu-lírico, agora liberto das aparências, que está num processo de descoberta de sua própria essência. Nos versos: "Nu - só - louco / Eu!" dá para notar uma valorização, pelo eu-poético, de seu próprio ser, mas não o ser que se mostra para as outras pessoas, para a sociedade (vestido, seguindo as regras sociais), mas sim o eu verdadeiro, natural.

Dá para explorar neste poema, também, o simbolismo da nudez. Consultando novamente o Dicionário de Símbolos, "O simbolismo do nu desenvolve-se em duas direções: a da pureza física, moral, intelectual espiritual e a da vaidade lasciva, provocante, desarmando o espírito em benefício da matéria e dos sentidos." A nudez do corpo representa também, segundo este mesmo livro, uma espécie de retorno ao estado primitivo. Na tradição bíblica, é possível tomar a nudez como símbolo de um estado onde tudo está sendo manifestado, não dissimulado, como Adão e Eva no Jardim do Éden.

Outro símbolo presente neste poema é a água... Note que este elemento aparece constantemente: "Sob o sol em meu leito após a água", ou nos trechos "Sob o sol em meu leito após a água" e "Do sol e dos sóis sobre o mar" . De acordo com o Dicionário de Símbolos, "As significações simbólicas da água podem reduzir-se a três temas dominantes: fonte de vida, meio de purificação (...)" . Mergulhar nas águas(...) é retornar às origens, carregar-se de novo, num imenso reservatório de energia e nele beber uma força nova (..)".

Então, há dois elementos, neste poema, relacionados à ideia de retorno às origens: a nudez e a água ^_^.

Bom, essa foi uma pequena análise que eu fiz, pode ser que você encontre neste poema muitos outros elementos além dos que eu mencionei! Além disso, você pode não concordar nem um pouco com a minha interpretação (baseada nas minhas próprias impressões e na pesquisa no Dicionário). Afinal, cada leitor pode realizar uma leitura diferente de uma obra literária, de acordo com suas impressões, sua experiência de vida... O interessante da literatura é esta liberdade de interpretação, geradora de inúmeras possibilidades... :) Escolhi até uma citação sobre este fato, retirada do livro Palavra e Imagem - Leituras Cruzadas (da Ivete Lara Camargo e outras autoras): "É porque o texto literário não se quer reprodução exata do referente que expõe as infinitas possibilidades de transgressão do objeto representado, mesmo quando nos passa uma ilusão de referencialidade".

2 comentários:

  1. gosto do modo como voce destrincha o poema ^^
    será que é coisa de quem estuda letras?
    queria saber fazer isso...

    mas por que canto de sisne?

    ResponderExcluir
  2. Olá, muito obrigada pelo seu comentário no meu blog! ^^

    Sobre a análise do poema, bem, no curso de Letras os alunos recebem com certeza uma boa orientação a respeito de análises de poesia, porque entramos em contato com diversos teóricos dedicados a esta análise, conhecemos livros como o Dicionário de Símbolos, estudamos as escolas literárias, seus autores, etc, etc.

    Na verdade, eu penso que você não precisa ser do curso de Letras para fazer estas análises... Não acredito que, só porque estudo Letras, eu possua a "verdade" expressa na poesia. Até porque o poema pode apresentar inúmeros sentidos...

    Qualquer pessoa pode interpretar um poema, de acordo com sua visão de mundo. Até porque a arte é para todo mundo... Fico feliz que você tenha gostado da minha análise, mas será que você pode enxergar neste poema coisas que eu não vi? Isso é perfeitamente possível... Até eu mesma, lendo o poema novamente, posso enxergar coisas que não tinha visto antes. ^^

    Se quiser "destrinchar" poemas (repeti o verbo usado por você ^^), faça uma leitura atenta... Faça o (agradabilíssimo) exercício de estar constantemente contemplando a arte, "viajando" em suas cores (em poemas ou pinturas), significados e símbolos ocultos ou evidentes... ^^

    Bem, escrevi tudo isso, e ainda tenho que explicar o título do blog... rs.

    Gosto da simbologia relacionada ao canto do cisne. A expressão "canto do cisne" se refere às últimas grandes realizações de alguém. Por muito tempo, lá na antiga Grécia, acreditou-se que o cisne, antes de sua morte, entoava um belíssimo canto... Isso não significa que eu queria morrer ou algo assim (rs), é que eu gosto do sentido poético que esta expressão apresenta... Tchaikowsky (um dos meus compositores preferidos), por exemplo, terminou uma das mais belas sinfonias que já ouvi, a "Patética", um pouco antes de sua morte. Neste caso, podemos dizer que a "Patética" foi o "canto de cisne" de Tchaikowsky.

    Esta figura do cisne tem um forte caráter místico, não? Também está bem ligada a obra de um poeta que amo muito, Yeats. Se você procurar, vai encontrar muitos cisnes na poesia dele. rs.

    Canto de cisne também pode ter mais de sentido. "Canto" pode se referir a uma "canção" ou a um determinado lugar isolado... Acho que essa pluralidade de sentidos combina com um blog que fala bastante sobre poesia.

    Nossa, a minha resposta ao seu comentário ficou muito grande! O.O

    Um abraço, obrigada pela sua visita ao meu blog! ^^

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails